queria que meu abraço cobrisse o coração de todos os meus amigos e de todos aqueles que muito íntimo ainda não sou. queria que meu calor os protegesse do frio e da neve e do medo em todos os momentos. queria guardá-los todos no bolso. queria dizer ao ouvido de cada, para que assim tornar-se o meu sentimento especial, que os amo. todos vocês daqui desse mundo e todos os outros que não encontro em lugar algum. amo-os todos os futuros amigos e os do passado. amo-os todos que vivem e que amam os seus. sintam-se abraçados todos. sintam-se dentro do meu peito todos. todos.

Em todo lugar…

Fui ao supermercado e ví muitos casais; ví também amores. Foi bom perceber a ternura do riso cúmplice no corredor dos chocolates, nas brincadeiras do caixa rápido, no descanso ao ombro da fila longa… nos iogurtes  e afins, um paredão de amores e entre uma espera e outra, o carinho do passeio, como se ali fosse um parque verde para a tarde de verão. Pais e mães, futuros pais e mães  e a delicadeza existe… mesmo depois da compra, um passeio solitário entre os corredores só para contemplar os pequenos detalhes dos grandes amores e ver o que não se via assim fácil… foi bom… foi sim.

Hoje…

Já quis muitas coisas e uma única pessoa, mas o tempo passa, você amadurece e coisas que eram consideradas tão importantes e insubstituíveis, hoje até causam um riso, tal qual brincadeira de criança travessa relembrada na mesa de um bar. As vontades das coisas antigas morrem com o nascimento das vontades das coisas novas? Muito coisa morreu em mim, outras adormeceram e o nascimento, que digam as mães, não podem ser comparados a nada. Como um filho que acaba de vir ao mundo, assim deveríamos tratar nossos sonhos quando adultos… e vida longa ao que nunca morre em nós.

Eu, Serial Killer

Encontrar uma forma de corrigir erros do passado, não é fácil. Já queimei um ator de teatro, um poeta, um boêmio que não tinha nem onde cair morto, um outro cara metido a ficar com mulher dos outros, uns diálogos, muitos e-mails, uma noite inesquecível em Curitiba, uns lugares em Balneário Camboriú, meia Itajaí e muitos livros… Mais que Nero, tentei eu, abrir lugar para coisas novas, acreditem. Queimei um cara meio tímido e ele até arrumou uma namorada, mas a queimei também…é difícil… tem coisa que não morre nunca…não queimei a mim.

Foi assim…

Passou muito rápido. Questão de poucos anos-luz. Olhei suas fotos e antes do fim do álbum, havia acabado. Nem fogo de palha, nem tragédia anunciada; simplesmente assim… acabou e sem ponto final. Não tentei entender. Não entenderia igual. E por rápidos séculos, quase nasceu o frio na barriga, o silêncio que antecede a expectativa… a expectativa. Ela não soube, mas toquei seu rosto, acariciei suas mãos, senti o perfume no seu pescoço e senti seu hálito nervoso. Rimos. Corremos caminhos longos e paisagens imaginárias, mas foi bom afinal… foi um exercício agradável… esse de perder-se antes do pôr do sol…